Maratona do Rio 2016: Emerson Bisan

emerson-diabeticoMaratona do Rio – A mais bonita do Brasil

Eu não poderia perder…Qual a chance de fazer uma maratona na cidade que realizará os Jogos Olímpicos no ano do seu acontecimento?

Uma das minhas preferidas, apesar das características da cidade ser muito quente posso dizer que nunca tive grandes dificuldades com o calor na Maratona do Rio , mas  com a mudança da data devido aos Jogos Olímpicos a chance de esquentar fora do inverno seria muito grande, mas não foi nada trágico, a temperatura bateu como máxima 27 graus com uma brisa muito agradável e coma  largada bem cedo (7h30) o tempo fica ameno até entrarmos em Copacabana onde o negócio começa a pegar pra maioria.

Minha última prova do semestre e já estava curtindo as conquistas desse ano que foram muito gratificantes e o resultado que conseguisse  no Rio seria ótimo.

Iniciei minhas provas deste ano bem cedo já na última semana de Janeiro e depois veio uma sequência muito divertida pra quem curte longas distâncias e posso garantir que nunca terminei minhas provas tão conscientes e feliz, talvez por estar comemorando 20 anos de  diagnóstico de diabetes e corrida a minha consciência do que sou capaz melhora a cada dia.

E posso dizer que em todas abaixo curti muito:

30 de Janeiro – TTT – Travessia Torres Tramandaí(RS) 81 Km

27 de Fevereiro – K21 Etapa SP Pico do Urubu – 21 Km

16 de Abril – Volta à Ilha de Floripa Categoria Dupla 140Km

23 de Abril – Maratona de SP – 42Km

30 de Abril – Desafio 28 Praias – 42 Km

21 de Maio – 75 Km Bertioga Maresias – SOLO

29 de Maio – Maratona do Rio –  42 Km

Como sempre relato aqui é fundamental para minha performance acordar com a glicemia jejum muito boa , o que é muito difícil quando se tem um jantar de massas pré prova daqueles tradicionais com rodízio de massas e isso me faz errar muito a contagem  da noite e sempre acabo acordando com a glicemia mais alta, o que me faz corrigir de forma mais agressiva antes do café da manhã e quase sempre também reflete em uma hipo logo no início. Mas, a prática me fez acertar a correção e do jantar e acordar com a glicemia em 123 mg/dl fazendo com que eu não corrigisse a glicemia e nem o leve café que costumo tomar pré prova com apenas 2 bisnaguinhas e uma caixinha de suco de frutas 45min antes da largada sem correção. Fiz minha basal para a distância dos 42Km que geralmente cai em 25% e fiz minha suplementação com gel a cada 7 Km como já estou acostumado além do abastecimento com Gatorade da prova que estava perfeito.

Arrisquei um ritmo de 5min30seg/km e já percebi que não daria pra manter isso, segurei o ritmo e curti muito a prova fechando em 4h17min e glicemia como acordei…123 mg/dl…Bingo!!!

Feliz por ter completado minha 11ª Maratona do Rio e minha 68ª Maratona, todas após o diagnóstico de diabetes e com rumo a ASICS SP City Marathon em Julho e pra completar minha 70ª Maratona na Mizuno UP Hill Marathon na Serra do Rio do Rastro em SC.

 

Share