Boratreinar: VOLTA À ILHA: JONAS VIOTTO É ‘DIABETES E DESPORTES’

JonasAos 33 anos, o designer e produtor gráfico Jonas Viotto da Cruz está pronto para correr a Volta à Ilha com a equipe ‘Diabetes e Desportes’ – saiba mais em www.diabetesedesportes.com.br . Morador de Santana do Parnaíba, Jonas fala um pouco sobre sua relação com a corrida e com o triathlon. Conta também como o esporte pode ser um bom caminho para manter o corpo em equilíbrio.

Como e quando você começou a praticar mais intensamente a corrida?

Em 1999, quando comecei a ver que era possível realizar um sonho de infância, que era correr a corrida de São Silvestre.

Como o diabetes interferiu nisso?

Fiquei diabético em 1996, aos 13 anos, e fui instruído por toda a equipe de profissionais de saúde que me acompanhava a praticar um exercício físico regular. A Associação de Diabetes Juvenil também me estimulou bastante. Lá também fiz muitos amigos motivados a praticar exercícios pelos mesmos motivos que eu.

De que forma a corrida e o esporte de uma forma geral te ajudam a manter-se saudável?

O controle da glicemia foi a causa prioritária, porém os benefícios da atividade física regular estão muito além da questão do diabetes: nosso apetite melhora, a qualidade do nosso sono, o controle do peso, o humor é beneficiado. A mente também consegue funcionar mais plenamente, absorvendo melhor o conhecimento quando lemos ou estudamos, e também a administração das decisões. Também existe a questão espiritual, que nos ajuda a ter motivação, aprender a administrar e superar desafios pessoais. Os benefícios são inumeráveis!

As pessoas se surpreendem ao saber que você corre mesmo tendo diabetes?

Sim e muitas me têm como um exemplo a ser seguido, pois elas dizem isto! Sinto que eu consigo auxiliar muitos portadores de diabetes com as experiências que desenvolvo na prática da corrida, com as conquistas de cada prova que realizo e com as histórias que são geradas no decorrer de cada uma dessas provas.

E isso ainda te surpreende? O fato de as pessoas ainda se surpreenderem…

Essa surpresa é sempre muito positiva! Pois já aprendi a contar as histórias das provas de uma maneira que as pessoas não-praticantes de atividade física entendam! Não falo sobre pace ou quilometragem, embora seja parte do meu treinamento. Mas falo sobre as distâncias que percorro, de qual ponto até qual ponto eu percorro. Uma vez disse que fazia o trecho Tatuapé-Vila Olímpia de bicicleta duas vezes por semana, ida e volta, para ir e voltar do trabalho. Isso é muito mais inteligível a pessoas leigas do que se eu disser que fazia 45 km de bicicleta em um dia!

É um pouco negativo quando as pessoas ficam preocupadas, achando que eu estou arriscando minha vida em função do diabetes praticando este tipo de atividade. Mas quando eu digo as provas que já participei (5 São Silvestres, 3 Voltas à Ilha, 1 Meia-Maratona, 1 Triathlon e dezenas de provas de 10km, além das provas de natação que participo), elas já percebem que o temor de um diabético praticante de atividade física intensa nada mais é do que um paradigma salpicado com um pouquinho de preconceito. E isso as transforma, pois percebem que também são capazes de ter uma vida plena, mesmo que fossem diabéticas (e algumas de fato o são)!

Como são os seus treinos?

Faço natação três vezes por semana. Me restava correr duas vezes por semana, pois os outros dois dias são de descanso, que é fundamental para o progresso dos resultados.

Meus treinos sempre iniciam com uma prova a ser realizada e uma meta de tempo para realizar esta prova. Para esta Volta à Ilha, tenho um trecho de 8K para correr, e pretendo fazer em 45 minutos. Tendo a data da prova e o ritmo a ser desenvolvido, faço as escalas de progressão de resultados que precisam ser alcançados a cada semana e mês.

Como eu estava apenas nadando, comecei a correr na virada do ano. Estava fazendo um ritmo de 7:10 min/Km em janeiro. A primeira atitude foi conseguir correr menos de 6min/Km em um intervalo de 40 minutos. Alternei treinos intervalados e fartlek, para ganhar a resistência específica pra corrida. Tendo alcançado os resultados estipulados nestes dois treinos, partia para a prova de resistência, que era correr pelo menos 45 minutos no pace que os treinos me indicavam ser possível. O último, consegui correr 45 minutos em 5:45 min/Km. Agora, estou fazendo trechos de distância e altimetria similares ao que encontrarei na prova, que chamo de treino simulado.

Qual a expectativa de integrar esta equipe na Volta a Ilha?

Esta é minha terceira participação! A prova é mágica, podemos desfrutar todos os tipos de biomas e climas (areia fofa de praia no sol, asfalto à noite, trecho de mata na chuva, etc.). Nos deparamos com trechos em que estamos rodeados de pessoas e trechos que estamos completamente sós, como eremitas em trânsito! A Ilha de Florianópolis é linda, nos proporciona Um cenário paradisíaco em contraste com um desafio colossal! É uma prova diferente de qualquer outra!

Clique aqui é acesse a notícia original.

Share