Portal SBD: Atividade física e Diabetes. Minha maneira de encarar esta situação

sbd-atividade-fisica-e-diabetes-2Tenho diabetes há 28 anos e mesmo antes de meu diagnóstico eu já era bem ativo. Adorava esportes e também a vida ao ar livre. Já tinha praticado a natação, o judô e participava do Movimento Escoteiro.

Claro que ao descobrir que tinha diabetes o susto foi grande, mas não me congelou. Fui pesquisar e entender o que era aquilo e que mudanças eu teria de fazer em minha vida. Busquei ajuda em associações, fiz amigos e juntos encarávamos o assunto do diabetes de maneira positiva e construtiva. Afinal, reclamar e chorar não iria nos curar e nem fazer com que não precisássemos das injeções de insulina.

O aprendizado foi longo e constante (permanece até hoje) e pouco tempo depois pude voltar a fazer meus esportes e acampamentos. O diabetes era uma condição a ser cuidada e que eu fazia que se adaptasse ao meu ritmo dinâmico de viver. E o meu fascínio por desafios não poderia ser parado por ele e fui me envolvendo cada vez mais em esportes de longa duração.

Eu era um bom nadador e logo iniciei também a correr e pedalar, participando de provas de triathlon até chegar na distância IronMan (3,8km de natação, 180km de ciclismo e 42,2km de corrida a pé). Antes parecia um sonho quase que inalcançável, mas com disciplina e planejamento eu venci aquele desafio (até hoje já foram 10 participações). Aliás, eu acredito que é isso que me faz viver bem com o diabetes. Tenho disciplina e me planejo muito bem por causa dos esportes, e são essas qualidades que fazem com que eu tenha um ótimo controle. Também faço o que considero correto e sensato, que é adaptar o meu diabetes a minha vida e não o contrário. Assim, os sentimentos são outros e você não o encara mais como um inimigo, mas como algo que você terá de conviver pacificamente provavelmente o restante de sua vida.

E além do IronMan, também fui para ultramaratonas (a maior com 217km), expedições de alta montanha (Aconcágua, Kilimanjaro etc.), ciclismo, mergulho e a lista continua.

Em 2003 eu conhecia poucos atletas com diabetes e nenhum deles participava de IronMans (eu devo ter sido o primeiro atleta com diabetes a correr um IronMan no Brasil). Então resolvi com esses outros poucos atletas fundar um grupo, ou um time de amigos, que pudesse ir agregando outras pessoas interessadas e a informação sobre o bem viver com o diabetes pudesse ser disseminada a muitos outros que infelizmente ainda “sofriam” de diabetes em vez de convier com ele. Comecei com o Alexei, depois vieram o Flavio, o Guilherme, o Kener, o Bisan e dezenas de outros. Coleciono muitos amigos em razão desse nosso grupo e todos aprendemos muito uns com os outros. Hoje o Diabetes&Desportes é um time de atletas dos mais variados esportes e trocamos nossas experiências de modo a “tratar” os mitos e incentivar as pessoas a buscarem as condições necessárias para conviver bem com o diabetes e ir atrás de seus sonhos, sejam eles a subida de uma montanha ou aprender a dançar!!

O sucesso foi, e é, tão grande que atravessamos as fronteiras do Brasil e participamos de eventos em várias partes do mundo, ou acolhemos nossos amigos estrangeiros em nossos eventos aqui no Brasil. E todos com o mesmo objetivo: fazer o que gostamos sem que o diabetes seja um impedimento, e desta maneira passando uma mensagem positiva e inspiradora para os demais.

O segredo é querer viver bem! É não querer usar o diabetes como desculpa para não fazer as coisas. Aliás, eu sempre digo que o diabetes é o motivo para eu fazer as coisas. Não sou doente, apenas levo comigo uma condição que deve ser cuidada, usando tecnologia e principalmente conhecimento, adquirido e compartilhado ao longo de todos esses anos.

Fonte: Portal SBD.

Share